Somos onívoros, temos dentes caninos para comer animais

“Somos onívoros, você viu nossos dentes caninos? Somos projetados para comer carne, os veganos estão negando a nossa natureza”.

Muitas pessoas usam o fato de sermos onívoros e possuir dentes caninos como uma justificativa para comer animais, e que de alguma forma se tornar vegano seria ir contra a nossa natureza… Mas será que isso é realmente verdade?

Assista ao vídeo:

Para começar, o argumento de que “somos projetados para comer carne” é bastante curioso, já que muitas pessoas realmente acreditam que comer produtos animais é essencial para nossa nutrição, algo que precisamos para sermos “fortes e saudáveis”, e que de alguma forma isso faz parte da nossa “Natureza”.

No entanto, a maioria de nós nunca desejaria matar um animal por conta própria. Se por natureza devemos comer animais, não só a gente conseguiria assistir animais sendo mortos, como também conseguiríamos matá-los com nossas próprias mãos — talvez até ansiando por isso.

Mas quando tento mostrar vídeos de matadouros para as pessoas, elas simplesmente sentem repulsa, viram o rosto, ficam bravas, tristes ou ainda frustradas. Ao invés de sentirem desejo e fome com animais sendo mortos, elas sentem o oposto disso, e inclusive dizem coisas como “se eu assistir o que acontece com os animais, eu não como”.

Mas se somos projetados para comer animais, por que presenciar animais sendo mortos não nos causa desejo e não fortalece o nosso apetite? Por que ver o processo de como os produtos de origem animal chegam até o nosso prato faz com que a gente pare de comer? Isso é um tanto curioso, já que um verdadeiro onívoro ou carnívoro salivaria diante da presa sendo abatida — e talvez até se divertisse passeando em algum abatedouro.

Mas vamos pensar um pouco sobre o fato de termos dentes caninos, já que muitas pessoas usam isso como justificativa para comerem animais.

Ironicamente os hipopótamos têm os maiores caninos em comparação a qualquer animal terrestre do planeta, e hipopótamos são animais herbívoros. Esse fato sozinho desmistifica o mito de que ter caninos é um bom motivo biológico para rasgar carne, afinal os maiores caninos pertencem a um herbívoro. São muitos os animais que se alimentam primariamente de vegetais e têm dentes caninos, tais como rinocerontes, morcegos frugívoros, babuínos gelada, camelos e mesmo o veado-dente-de-sabre.

Gorilas também possuem dentes caninos, compartilham 98% do nosso DNA e seu trato digestivo é quase idêntico ao nosso, sendo classificados como animais frugívoros — claro, com exceção de eventualmente comerem alguns insetos.

Embora o maior consenso seja de que humanos são animais onívoros, há muitas pessoas que acreditam que, fisiologicamente falando, nossos corpos são mais parecidos com os animais herbívoros ou mesmo frugívoros, do que animais onívoros. Essas pessoas apontam para o fato de que, em média, nossos intestinos são três vezes mais longos que de um onívoro, nossas mandíbulas rangem de um lado para o outro quando mastigamos, o que funciona para moer vegetais e não para rasgar e morder pedaços de carne como fazem os predadores naturais; e também para o fato de que o ácido clorídrico em nosso estômago é mais fraco do que o dos carnívoros e dos onívoros, o que torna mais difícil matar as bactérias provenientes de alimentos putrefatos como a carne animal.

E isso sem mencionar que nossas garras e unhas são incrivelmente cegas e nada eficazes para dilacerar um animal — a não ser que a gente queira fazer cócegas na barriga de um porco, aí dá certo.

Ou seja, as ferramentas naturais que nosso próprio corpo dispõe para que matemos outros animais são muito rudimentares e brutas, e isso significa que não somos predadores eficientes. Não possuímos qualquer ferramenta “biológica” e “natural” para caçar animais. Portanto é simplesmente falsa a afirmação de que somos “projetado para matar animais.”

“Então, Alysson, isso significa que na verdade somos herbívoros?”

Como eu falei antes, a despeito das vastas semelhanças entre nós e os comedores de plantas, o consenso é o de que somos onívoros. Mas, pra ser honesto, essa discussão aqui é totalmente irrelevante. Não importa se somos herbívoros, onívoros, frugívoros ou até mesmo carnívoros. Só porque podemos fisicamente fazer alguma coisa, isso não nos dá justificação moral para fazermos essa coisa.

Por exemplo, eu posso fechar o punho, mas isso não significa que seja moral bater em alguém. Ou então imagine que um homem agrediu alguém sexualmente e, para justificar suas ações, apontasse para suas partes íntimas… isso não significa que agredir alguém sexualmente seja certo. Ter partes do corpo que são capazes de fazer algo não nos dá desculpa pra fazê-lo.

Portanto, só porque podemos fisicamente digerir um pedaço de carne e depois expeli-lo, não estamos moralmente justificados ao matar animais.

De toda forma, vamos aceitar que humanos são animais 100% onívoros e perfeitamente adaptados a toda sorte de alimentos de origem animal.

De acordo com a Academia de Nutrição e Dietética, o maior grupo de profissionais de dietética e nutrição dos Estados Unidos, composto por mais de 100.000 profissionais certificados, o consenso em torno da alimentação humana é que uma dieta vegana é saudável, segura e nutricionalmente adequada para todas as fases da vida, incluindo gravidez, lactação, infância, na fase idosa e até atletas podem ter alto rendimento sendo veganos. Esse entendimento também é endossado pela Academia de Nutrição e Dietética do Reino Unido, e mesmo o Ministério da Saúde brasileiro já admite que podemos ser saudáveis sendo veganos.

Além disso, há evidências extensas e conclusivas que ligam nosso consumo de produtos de origem animal a algumas de nossas principais doenças e enfermidades, incluindo doenças cardíacas, certas formas de câncer, diabetes tipo 2, derrames e por aí vai. A questão de ter uma dieta vegana não é mais uma questão controversa dentro da comunidade científica, já sendo aceito que, biologicamente falando, não precisamos de produtos animais para nossa nutrição.

Em outras palavras, mesmo aceitando que somos onívoros continua sendo completamente desnecessário comer animais, já que podemos sobreviver, obter toda a energia e os nutrientes de que precisamos a partir de uma dieta vegana.

Quanto aos nossos caninos, o fato é que eles são ótimos para morder alimentos mais difíceis e complicados, como maçãs ou nozes, mas são de pouca utilidade para qualquer outra coisa. E mesmo que nossos caninos fossem desenhados para nos ajudar a separar a carne de um animal e comê-lo, isso não tornaria moralmente justificável matar animais hoje em dia, diante do fato de que temos acesso a uma ampla variedade de produtos vegetais e não temos qualquer necessidade real de consumir a carne de um animal.

Agora, se existe algo realmente importante na alegação de que somos onívoros, é o fato de que podemos escolher o que vamos comer. E causar sofrimento e morte em outros animais desnecessariamente, contribuindo com a queda na qualidade da saúde humana e financiando a indústria pecuária que é uma das maiores responsáveis pelos principais problemas ambientais não é, nem de longe, a escolha mais inteligente que podemos fazer.

Sermos onívoros não é desculpa para sermos irracionais.

Para conhecer respostas a mais argumentos contra o veganismo, confira esta playlist no YouTube: https://youtube.com/playlist?list=PLOLphrszCZYQyxr4uAg7CKl5Q7idcGdhC

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto