Plantas são seres vivos, veganos MATAM plantas

Por que os veganos não se preocupam com os direitos das plantas? Afinal, elas também são seres vivos. Plantas sentem dor.

“Veganos matam plantas.”

Assista ao vídeo:

Isso é algo que eu ouço o tempo todo. É engraçado porque antes de me tornar vegano, nunca pensei que as plantas sentissem dor ou que tivessem a capacidade de sofrer.

Mas, desde que me tornei vegano, é algo que me dizem quase todo dia.

Em primeiro lugar, se formos conferir o que a ciência tem a dizer, plantas são criaturas vivas, mas não são criaturas sencientes. Em regra, para ser senciente, é preciso ter um cérebro e um sistema nervoso central conectados a diferentes receptores, como receptores oculares, auditivos, táteis, gustativos e olfativos.

Somente quando você tem receptores, um cérebro e um sistema nervoso, você consegue ver, pensar, sentir, cheirar, tocar, ouvir, provar e assim por diante. Quando você não tem esses receptores, nada disso é possível. Portanto elas são incapazes de sentir dor e não possuem qualquer capacidade de experienciar estados afetivos conscientes que sejam positivos ou negativos.

Se você considerar a razão pela qual humanos e animais não-humanos têm a capacidade de sentir dor, é para que possamos escapar do perigo e evitar situações de risco de vida.

As plantas não podem fazer isso. Eles não podem fugir do perigo e não podem escapar de situações de risco de vida, o que significa que, de um ponto de vista evolutivo, não serviria de nada para elas a capacidade de sentirem dor.

Se formos pensar de um ponto de vista religioso criacionista, a pergunta é: por que um Deus benevolente e compassivo daria às plantas a capacidade de sofrer e sentir dor quando elas não podem escapar? Isso não parece algo que um Deus amoroso e cuidadoso faria.

Uma parte dessa confusão vem do fato de que plantas são seres vivos e elas são capazes de fazer coisas realmente incríveis.

Mas elas operam em um nível celular e não respondem como os animais.

Veja bem: as plantas reagem, mas não respondem.

Isso significa que a razão de uma planta carnívora fechar em torno de uma mosca não é porque ela responde conscientemente ao pouso da mosca.

É porque, ao pousar, a mosca fez com que os estímulos de pressão tivessem uma reação, o que faz com que a planta se feche em torno da mosca.

Da mesma forma, se você colocar uma bituca de cigarro, pedras ou qualquer coisa na boca de uma planta carnívora, contanto que você tenha acionado os estímulos de pressão, a armadilha vai se fechar abocanhando qualquer objeto que você colocar nelas. Seria no mínimo curioso concluir que, já que plantas carnívoras abocanham bitucas de cigarros, elas conscientemente gostam de fumar.

Animais, por outro lado, têm uma resposta consciente, o que significa que eles não vão comer pedras apenas porque você colocou pedras em sua boca.

Eles vão responder ao fato de que as pedras não são comida, e então não irão comê-las.

Outra maneira de entender isso é pensando em uma campainha. A campainha vai tocar se você pressionar o seu alarme. Agora, o motivo pelo qual a campainha toca não é porque ela está consciente. É porque ela está reagindo ao seu toque. Trata-se de uma reação ao fato de a campainha ter sido pressionada.

Para entender melhor essa analogia entre plantas e campainhas, vale conferir o TED Talk do neurocientista Greg Gage, que mostra a partir de experimento com eletrocardiograma que os movimentos de plantas se resumem a reações elétricas pontuais totalmente inconscientes.

Agora, vamos examinar o lado ético desse argumento também; porque é realmente difícil de acreditar que alguém olhe para a vida de uma planta tendo a mesma consideração que a vida de um animal.

Faça a si mesmo esta pergunta: se você estivesse dirigindo na estrada e um cachorro corresse na frente do seu carro, você jogaria o carro no gramado para evitar matá-lo?

Se sim, então você mesmo admite que a vida de um animal tem mais valor moral do que a vida de uma planta.

Mas mesmo que plantas fossem conscientes e sentissem dor, nós temos que reconhecer que são consumidos até 16 kg de plantas para produzir 1 kg de carne, e a pecuária é a causa número um do desmatamento e perda de habitat. Isso significa que muito mais plantas são usadas na produção de produtos de origem animal do que em produtos veganos.

Quando você come animais, você está pagando para que muito mais plantas sejam mortas para fabricação de produtos de origem animal do que estaria se comprasse logo os produtos veganos.

Então, mesmo que você realmente acredite que as plantas sentem dor, que elas sofrem e merecem viver tanto quanto outros animais, então, lógica e moralmente, ainda somos obrigados a ser veganos.

Porque, sendo vegano, você contribui com muito menos sofrimento tanto de plantas quanto de animais.

Confira a Playlist “Argumentos Contra o Veganismo”: https://youtube.com/playlist?list=PLOLphrszCZYQyxr4uAg7CKl5Q7idcGdhC

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto