O momento para a unificação da esquerda é agora

Corrupção se combate com reforma política.

Não é minha função julgar o que alguém deve ou não fazer. Mas estou convicto de que, mais do que nunca, a esquerda enquanto movimento político deve se organizar para fazer justiça, já que sente-se injustiçada com este “golpe”.

É nesse sentido que os ânimos devem ser mantidos: com a queda de Dilma, o terror à impunidade deve ser disseminado, contaminando cada instância democrática com o fato de que a justiça será feita, alarmando cada representante público com o temor de que seus erros os levarão à ruína.

Mais do que em qualquer momento deste ano, a esquerda deve deixar de clamar “não vai ter golpe” e passar a dizer “eu vou fazer a morte do governo Dilma não ser em vão”.

Porque, com toda certeza, não é este o momento para ficarmos massageando nossos egos com teorias conspiratórias, colocando o governo como uma vítima (que esquerda é essa que vitimiza governos?).

Agora é a hora de inflar o peito e dizer “eu sou de luta”, como têm dito até então. É hora de se organizar pela queda de Cunha, no mínimo, e exigir a devida punição a Temer. É hora de exigir a derrocada de cada político que ousou ferir as vias democráticas em benefício próprio. É hora de ampliar o “fazer história”, e tornar este momento uma profusão de ações que acabem, por fim, em criar uma onda pela reforma política urgente.

E não esperem que isso aconteça do outro lado. Vocês não dizem que os “anti-corrupção” só queriam tão somente tirar o PT do poder? Então sejam coerentes e façam sua parte: tirem os outros, pois é a isso, e tão somente a isso, que servimos agora.

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto