Conheça os 3 tipos de amizade em Aristóteles: 1) a amizade baseada na utilidade ou interesse, 2) a amizade baseada no prazer, e 3) a amizade baseada na virtude — ou o que podemos chamar aqui de amizade verdadeira.

Assista ao vídeo abaixo ou leia a transcrição a seguir:

Livros de Aristóteles:

Política — compre pelo link: https://amzn.to/2Teo2KW
Ética a Nicômaco — compre pelo link: https://amzn.to/2T7Uwqh

Os 3 Tipos de Amizade em Aristóteles

Transcrição do vídeo:

Aristóteles talvez seja o maior autor da filosofia clássica. Ele fundou a lógica, inaugurou a taxonomia e as ciências naturais enquanto disciplina, escreveu tratados políticos e morais que até hoje influenciam líderes políticos e dão o que falar, trouxe ideias originais na física, química, ótica, metafísica, retórica e tantas outras áreas do conhecimento humano que, de fato, fica difícil não dar a Aristóteles o título de maior pensador do passado ocidental.

Além disso, como um legítimo animal social e político — como ele gostava de referir a si mesmo e aos outros — , Aristóteles também falou sobre a AMIZADE.

No seu livro 1 de Política, Aristóteles escreve que “o homem é, por natureza, um animal social que está inclinado a viver na companhia dos outros”.

E, de fato, o que poderia ser tão óbvio quanto isso? Digo, antes mesmo de cada um de nós nascer, já havia um contexto familiar e social onde muitas relações humanas ocorriam.

Nós simplesmente somos jogados numa realidade social já consolidada, e temos que nos desenvolver em meio a esse contexto, por meio do qual desenvolvemos mais e mais habilidades sociais. Aliás, seria muito surpreendente se Aristóteles tivesse dito o contrário, alegando que somos animais que não estão inclinados a viver socialmente.

Mas, quer saber?…

Se, além dessa, muitas das ideias de Aristóteles não nos surpreendem hoje em dia, isso é porque vivemos num mundo pós-aristotélico, o que significa que, se concordamos ou achamos trivial algo do que Aristóteles fala, então provavelmente somos, também, aristotélicos.

E dentre essas afirmações aparentemente triviais, estão os três tipos de amizade na visão de Aristóteles, que podemos encontrar nos livros 8 e 9 da sua obra Ética a Nicômaco.

Esses 3 tipos de amizade são os seguintes:

1) a amizade baseada na utilidade ou interesse, 2) a amizade baseada no prazer, e 3) a amizade baseada na virtude — ou o que podemos chamar aqui de amizade verdadeira.

No primeiro tipo de amizade, os amigos querem um ao outro porque são úteis entre si. Ou seja, sua relação fraterna só existe em função dos benefícios que ela alcança pros envolvidos.

E, de fato, essa relação pode às vezes ser unilateral, e apenas um dos lados manter a amizade com o outro apenas pela utilidade. Porém, muitas vezes a amizade pela utilidade é recíproca, e os amigos desse tipo de amizade apenas mantém seus laços na medida em que são laços proveitosos de alguma forma.

Pra Aristóteles, esse tipo de amizade tem uma motivação egoísta, pois só resiste em função dos interesses que o indivíduo mantém. Por exemplo, posso considerar um colega de trabalho meu amigo apenas porque ele me ajuda nas tarefas do serviço, e não ter qualquer interesse em vê-lo fora do ambiente de trabalho. Pra Aristóteles, esse tipo de amizade, baseada no interesse, é o tipo mais comum.

Aristóteles também fala sobre o tipo de amizade baseada no prazer. Neste segundo tipo, Aristóteles não fala de prazer como algo simplesmente limitado a pulsões sexuais… Não se trata de uma amizade motivada simplesmente pelos ganhos sexuais que a pessoa pode ter, como por exemplo aquele jovem adolescente púbere que quer muito se envolver com uma menina e aceita ficar tentando meses e meses enquanto ela apenas o chama de “amigo”.

Na verdade, na amizade baseada em prazer, Aristóteles está falando e prazer num sentido amplo, como por exemplo quando alguém que só se considera amigo de outra pessoa porque essa pessoa é engraçada e a faz rir, ou então aquele seu amigo que só te procura pra te convidar pra ir pra balada mas não quer saber de seus dramas pessoais.

Ou seja, tanto a amizade baseada em interesse quanto a amizade baseada em prazer são amizades auto-interessadas, ou mesmo egoístas.

Agora, no terceiro tipo de amizade, a amizade baseada em virtude ou amizade verdadeira, Aristóteles se refere àquelas amizades nas quais os valores envolvidos são virtuosos, tomando a amizade como causa final, como o verdadeiro objetivo dos amigos — e não o interesse ou prazer que eles possam ter. Podemos formular esse terceiro tipo da seguinte forma:

Maria quer para João o que for bom para João porque quer o bem de João.

[A quer para B o que for bom para B porque quer o bem de B.]

Temos aqui uma relação que não é egoísta, uma relação construtiva especialmente se for recíproca. Esse tipo de amizade busca cuidar, encorajar e sustentar o bem-estar do Outro em virtude de si mesmo, e portanto acaba sendo um tipo raro de amizade, que talvez muitas pessoas nunca tenham usufruído.

Uma coisa que vale notar é que Aristóteles não está dizendo que apenas a amizade verdadeira presta. Longe disso. Tal como ele buscou categorizar o reino animal, mineral e vegetal, Aristóteles quer reconhecer as diferentes amizades e colocá-las em seu devido lugar.

Além disso, ele reconhece que cada uma dessas amizades tem o seu valor, e pode ser benéfica a todos os envolvidos. Isso porque, só pra dar um exemplo, relações trabalhistas, que se mantém em virtude da utilidade, onde o trabalhador e o patrão só se consideram amigos porque ganham algo com isso, é um tipo de amizade pela utilidade que é indispensável pra vivermos em sociedade, já que ninguém é economicamente independente.

Claro, esses dois tipos básicos de amizade se deterioram com o tempo, bastando que os interesses e os prazeres envolvidos mudem. Porém, talvez não haja como atingir a amizade verdadeira sem antes passar pela amizade baseada em interesse ou prazer, o que torna essas meios valiosos para atingir um bem último, que é a amizade virtuosa…

Bom pessoal…. O que acharam dessa ideia de Aristóteles?

Essa divisão entre três tipos de amizade faz sentido pra vocês?

Vocês conseguem apontar pros seus amigos mais próximos e determinar quais deles são amigos por interesse, amigos por prazer e amigos verdadeiros?

Aliás, já pararam pra pensar sobre como vocês mesmos consideram seus amigos, se os mantém apenas por interesse ou prazer?

Se vocês concordam com Aristóteles que a amizade virtuosa é a verdadeira amizade, talvez seja uma boa dica buscar atingir esse tipo raro de amizade com os amigos que você já tem.

Enfim, é isto. Se querem me ajudar a trazer mais vídeos de filosofia, acessem alyssonaugusto.com.br e descubram como apoiar o canal. Eu realmente preciso do seu apoio pra tocar esse projeto e não precisar me subjugar a algum patrão por aí.

Aliás, já parou pra pensar que, me apoiando, nós podemos começar nossa amizade por interesse? E quem sabe essa amizade não se torna numa amizade verdadeira, não é mesmo?

Ah! E quero agradecer especialmente ao Wellington Paranhos, que me presenteou com um tecido de chroma key e um microfone que tá pra chegar e vou usar direto aqui no canal. Wellington, muito obrigado! E conforme tu me sugeriu, saiba que vou tentar bater a meta de 2 vídeos por semana. É difícil, mas a gente chega lá.

Bom, eu vou ficando por aqui pessoal…, meu nome é Alysson Augusto e nos vemos na caixa de comentários. Forte abraço!

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto

Mestrando em Filosofia (PUCRS). Produzo vídeos de divulgação filosófica no Youtube. Inscreva-se: http://youtube.com/alyssonaugusto